setembro 10, 2009

Bebida indigesta


Não haverá certamente ninguém que pelo menos uma vez não tenha participado ou assistido à azáfama das vindimas. Nos meses de Setembro e Outubro, as vinhas enchem-se de gente e em grande animação, as uvas são colhidas e transportadas para os lagares, onde são esmagadas e após fermentação, é recolhido aquele precioso líquido, tão apreciado pelos portugueses e não só.
Sempre estranhei tanta alegria no trabalho, e como cusca que sou, já em criança questionava os mais velhos sobre o assunto. Teriam as uvas um poder mágico que o simples exalar do seu odor nos deixava estonteados duma felicidade contagiante? Ou seria necessário mastigar primeiro alguns bagos? - Não, diziam-me. É uma espécie de gozo por antecipação ... o melhor vem depois de beber o seu suco!

Lembro-me de assistir impaciente às vindimas, tendo inclusive tentado dar uma ajuda e de, movida pela impaciência própria duma gaiata que segundo o meu avô nascera com o diabo no corpo, ter confundido o meu dedo mindinho com o pé dum cacho, valendo-me ser excluída da Festa. Dias depois, eu e a Luisa, minha companheira de brincadeiras, observamos grande azáfama no pátio. O meu avô e os nossos pais, carregavam um enorme pote dourado a que ouvi chamar alambique e percebemos que algo de muito extraordinário se iria passar nessa noite.


Aquilo era fantástico! Escondidas no escuro, víamos os homens em grande algazarra, colocar um copo sob um tubo de onde lentamente escorria um "fio prateado" e um após outro bebiam e riam, riam, riam. Sem hesitar, decidimos provar o milagroso suco!
Esperámos que os homens dormissem e pé ante pé avançámos e, de um só trago, bebemos um copo cheio cada uma. As minhas lembranças do alambique e do tão almejado "líquido prateado" terminam aqui.
Só me lembro de acordar com uma forte dor de cabeça, numa cama empestada de vomitado e outros fluídos desagradáveis, com a Luísa ao lado gemendo, em idêntico estado deplorável eheheheh

11 comentários:

Conversa Inútil de Roderick disse...

Confesso!!! Nunca participei nem nunca vi "in loco"!!!
Chibata-me!!!!!

Susana disse...

Cusquinha: Sua marota, deves ter aprebndido a lição, não? Tão pequena com uma ressaca dessas!
Obrigada pela tua participação! dessa história não vou esquecer!
Bjs Susana

Pascoalita disse...

Minha nossa! Tu apanhaste uma piela com aguardente? Por isso é que não bates bem da caixa dos pirolitos. Tá explicado eheheh

Zé do Cão disse...

Cusca. Agora é que me fui abaixo. Não queres ver que deixei perder a oportunidade de escrever sobre as vindimas.
Sabes, só me lembrei quando ontem ouvi trovejar. Lembrei-me das uvas na eira.

Olha paciência

Biquinhos para ti

Teté disse...

Bom, nunca participei em nenhuma vindíma! Isto é o que dá nascer em grandes cidades... ;)

Estou a ver que já em pequenina fazias das tuas! :D

Mas agora fica o dilema: voto em ti ou na Pascoalita? Ai, só me arranjam sarilhos... :)))

Beijocas!

ps - há asneiras que se fazem em criança, que ensinam "o que não se deve" fazer no futuro, ihihih!

Parisiense disse...

Pois eu assisti a muitas em casa da m/avó quando cheguei de Angola.
Adorava aquela azafama, aquele vai e vem de um entra e sai da adega, dos homens a pisar as uvas no lagar e eu e as m/primas adoravamos lá ir "roubar 2 umas canequitas de vinho doce.....mas aguardente nunca.

Belos tempos que se foram perdendo.

Mas ao que vejo tu sempre foste "fresca"......afinal não é só de agora....ahhahahaha

Beijokitas e bom fim de semana.

Sandokan disse...

Porque é que eu sou abstémio?! Ai tu pensavas que era só beber? Tem acontecido o mesmo a muito boa gente.
Obrigado pela tua visita. Continuo com os olhos verdes, apesar da Drª que tratou a nossa Amiga do "Réstias de Sol" me ter dito para colocar lentes de contacto azuis.
Mostras na tua prosa que a vida é um sonho e que é o acordar que nos mata.
Bom fim-de-semana e SÊ FELIZ!

Pascoalita disse...

Lindo, esse alambique!

Só mesmom uma "cusca abelhuda" para "desviar" a foto do Blogue da GRILINHA! Ela sabe?

Fica sabendo que esse alambique faz parte da decoração do restaurante "O ALFREDO", em Coimbra e foi tirada em Maio de 2006, num dia em que o nosso Grupo Adegueiro se reuniu ali num excelente almoço (as coisas que tu descobres. Fazes mesmo jus ao nome eheheh)

Dina disse...

Eu também apanhei uma assim há muitos e muitos anos mas foi de bagaço...daquele rasco, tudo para evitar ficar em casa a servir de ama seca a dois pingentes que ainda me punham mais doente do que já estava.
Resultado...passou-me a gripe, o pessoal não dormiu a noite toda porque teve que me aturar...e no dia a seguir ninguém saiu de casa. AH e eu ganhei uma valente dor de cabeça...
Ainda hoje detesto o cheiro de bagaços...aguardentes e afins!!

Gatinho frenético disse...

Ora vejam só como a endiabrada também sabe escrever bonito eheheh

quem diria, hen? Já a formiga tem catarro (isto é o que estou sempre a ouvir, por isso passo ...)

Oliver Pickwick disse...

Bem, o que move o mundo é a curiosidade. Portanto, estas acusações de travessa não procedem.
Aqui, esta festança e grande movimento em vindimas só temos no Sul do país, onde concentram-se os maiores produtores.
Um beijo!